Democracia e representatividade – Josinaldo José de Barros (Cabeça)

0
25

O sindicalismo sempre foi uma força social de peso, no Brasil e no mundo. Uma das razões desse reconhecimento se deve à representatividade. Ou seja, o movimento sindical representa uma categoria, um segmento profissional, um coletivo.

Essa representatividade é ampla e variada. E ela pode ser ampliada, tornando a entidade de classe mais forte e influente, seja nas questões tipicamente sindicais ou nas demandas por democracia, cidadania efetiva e justiça social.

A diretoria e os sócios são a parte essencial dessa representatividade. Mas não são as únicas partes. O integrante da Cipa (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes) amplia a representação. Da mesma forma, o delegado ou representante sindical.

Nosso Sindicato busca reforçar diariamente essa representatividade. Por exemplo, no campo Jurídico. A Constituição criou o recurso do “substituto processual”. Ou seja, o Sindicato pode ir à Justiça em nome de toda a categoria, sem precisar expor um trabalhador ou trabalhadora.

Também temos intensificado a participação nas eleições de Cipa. É uma forma de respaldar as Comissões e mostrar ao cipeiro que estamos juntos na luta contra acidentes e por saúde no trabalho.

Mais recentemente, começamos a negociar a eleição de representantes (ou delegados) sindicais. Também, nesse caso, nos respaldamos na Constituição. Com isso, queremos estender a presença sindical no chão da fábrica, pra que o representante seja a voz dos seus colegas e também um elemento de ligação com sua entidade de classe.

E nas eleições?

Nosso Sindicato se manterá atento e ativo, a fim de fortalecer a democracia, pois é o regime que dá ao cidadão o direito de votar e de ser votado. Nosso entendimento é o de que a categoria deve participar, levando aos candidatos suas reivindicações ou propostas. Ao assim fazer, estará mostrando sua força coletiva e os pontos de vista de um grupo importante, no caso os mais de 45 mil metalúrgicos de Guarulhos, Arujá, Mairiporã e Santa Isabel.

A democracia não pode ser um clube fechado, um aparelho. Pelo contrário. Quanto mais a sociedade organizada participar, mais forte será o sistema democrático. Portanto, ele será mais vigoroso e capaz de bem atender os cidadãos.

Democracia, representatividade e participação. Esse é o tripé sustenta o melhor entre todos os regimes políticos.

Josinaldo José de Barros (Cabeça) – Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos e Região. Diretoria Metalúrgicos em Ação.