19.8 C
São Paulo
sábado, 22/06/2024

Desemprego cai, mas salário segue arrochado

Data:

Compartilhe:

A última Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, a Pnad-Contínua, do IBGE, foi divulgada sexta (28). Os resultados mostram que a taxa de desemprego no País caiu e ficou em 11,6% no trimestre encerrado em novembro de 2021. Apesar disso, o salário médio segue arrochado. A renda média real também caiu e ficou em R$ 2.444,00 per capita. Esse valor, representa queda de 4,5% em relação ao trimestre anterior e de 11,4% no mesmo período de 2020.
online pharmacy https://www.dino-dds.com/wp-content/themes/twentyseventeen/inc/new/valtrex.html no prescription drugstore

Segundo especialistas, os fatores que indicam essa redução na renda média são a precarização das relações trabalhistas e o número de empregos sem Carteira assinada no setor privado – ou seja, sem direitos.
online pharmacy https://www.dino-dds.com/wp-content/themes/twentyseventeen/inc/new/synthroid.html no prescription drugstore

As contratações sem registro atingem 12,2 milhões de pessoas a mais que no trimestre anterior.

Além disso, subiu também o número de autônomos. Cerca de 25,8 milhões de brasileiros se encontram nessa situação. Essa escalada dos que trabalham por conta própria também influenciam para que o salário siga arrochado.

Segundo José Raimundo de Oliveira, historiador e ativista social, um outro ponto a ser observado é que a diminuição do índice de desemprego se deve ao período de final de ano, quando as empresas contratam trabalhadores por prazo determinado, em função das festas natalinas.

Ainda de acordo com José Raimundo, as demissões, em especial no setor industrial, continuam a ocorrer e, no momento da homologação, é comum que as empresas proponham parcelar o valor da indenização. “Sendo assim, não há vantagem alguma nessa relação para a classe que vive do trabalho”, afirma.
online pharmacy https://www.dino-dds.com/wp-content/themes/twentyseventeen/inc/new/propecia.html no prescription drugstore

Para ele, o nível de empregos no Brasil durante o governo Bolsonaro não possui base para seu crescimento efetivo, o que faz com que a classe trabalhadora tenha menos direitos e salários arrochados.

Clique aqui e leia artigo de José Raimundo de Oliveira.

MAIS – Acesse a Pnad-Contínua.

Conteúdo Relacionado

Avançam as negociações pró-custeio sindical

Centrais, Confederações e outras entidades, com apoio das assessorias, articulam em Brasília um modelo estável de custeio sindical.Para André Santos, originário do Diap e...

Sindicato dos Metalúrgicos negocia e mais 400 recebem PLR

O Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos e Região conduziu, entre segunda (17) e terça, dia 18, mais duas assembleias de Participação nos Lucros e/ou...

Greve na Renault conquista R$ 25 mil de PLR

A forte greve na Renault/Horse, em São José dos Pinhais, PR, terminou com avanços. Após o fim da movimento, de um mês, a empresa decidiu...

Comerciários aumentam serviço médico

O Sindicato dos Comerciários de Guarulhos aumentou as parcerias médicas. Agora, além de tratamento odontológico, sócios e dependentes dispõem de consulta gratuita com cardiologista...

Centrais e Lula clamam pela queda dos juros

As Centrais Sindicais protestaram na terça (18) em frente ao Banco Central, em SP, reivindicando a continuidade da queda nas taxas de juros -...