Em carta a Lula, Sindicato pede medidas sobre a Multiteiner

0
144

Ontem (26), o Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região (Força Sindical) massificou nas redes sociais Carta Aberta ao Presidente Lula. O motivo do clamor é a impunidade acerca do acidente da Multiteiner, há mais de um ano, que matou nove pessoas e feriu mais 28.

A empresa, em Itapecerica da Serra (Zona Oeste), havia levado seus empregados pra escutar, num recinto local, mensagens eleitorais de candidatos identificados com o patronato.

Segundo o Sindicato, o Ministério do Trabalho e Emprego, uma das instituições que atuam no caso, fiscalizou a empresa duas vezes. Dez Auditores comprovaram abusos legais: apesar dos trabalhadores seguirem regras da CLT, estavam contratados irregularmente como autônomos.

Providências – A Carta do Sindicato pede que sejam tomadas medidas para que todas as vítimas recebam a devida reparação. Diz o documento: “É fundamental avançar na garantia dos direitos trabalhistas e previdenciários de todos e todas. É essencial que haja responsabilização por esta grande tragédia. É primordial o respeito ao meio ambiente e às normas legais de funcionamento”.

Prossegue o Documento a Lula: “Precisamos buscar a garantia da não-repetição deste tipo de acidente de trabalho, seja por parte da Multiteiner, seja por qualquer outra empresa do nosso País, sendo relevante, nesse sentido, o endurecimento da fiscalização trabalhista, previdenciária, ambiental e em outros âmbitos, por parte do Estado, junto às empresas.”

Inação – Gilberto Amazan, Ratinho, presidente do Sindicato, aponta “inação” dos órgãos de Estado, nos três níveis de governo, inclusive no Judiciário. Ele explica: “Por que não interditou a empresa? Só mostrar que está irregular não basta”. Para o dirigente, é obrigação do Sindicato denunciar essa situação. “Lutamos pra dar visibilidade aos trabalhadores, aos atuais e aos que foram vítimas há um ano,” afirma Ratinho.

Clique aqui e leia: Carta aberta ao Presidente da República.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui