Nos dias 13 e 14, o Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo realizou, em parceria com o portal Outras Palavras e o Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé, o Seminário “Em defesa do petróleo brasileiro e da Petrobras”. A atividade, virtual, gratuita e aberta ao público, teve participação de dirigentes engenheiros e petroleiros, políticos, economistas e jornalistas. A Agência Sindical transmitiu em sua página no Facebook.

Para o presidente dos Engenheiros, Murilo Pinheiro, o tema é essencial para o desenvolvimento do País. “É de suma importância discutir o tema para que possamos clarear as ideias pra que esse desmonte não aconteça. Nossa Federação Nacional e o Sindicato estão cerrando fileiras pra fazer um evento bastante forte em defesa da Petrobras e do petróleo brasileiro”, destacou Murilo.

Além do dirigente engenheiro, participou o coordenador-geral da Federação Única dos Petroleiros, Deyvid Bacelar. Segundo o sindicalista, essa luta se vincula à defesa e à valorização da engenharia nacional.

Outros painéis do Seminário destacaram temas que apresentam o desmonte e a resistência da Petrobras e dos trabalhadores. A palestra do ex-engenheiro da empresa, Paulo César Ribeiro Lima, por exemplo, destacou que o fim do monopólio e a legislação permissiva reduziram a relevância da estatal. Segundo ele, a empresa “ficou extremamente reduzida e os polos petroquímicos foram privatizados” ainda sob governo Collor. Paulo alerta: “A Petrobras nunca construiu uma refinaria pra competir com outra, era pra atender aquele mercado regional”. Agora, diante de privatizações, a direção da empresa e o governo federal visam apenas o lucro.

Guilherme Estrella, ex-diretor de Exploração e Produção da Petrobras, também esteve presente no Seminário. Ele, que é considerado com o “pai do pré-sal”, fez parte do painel Caminhos para recuperar a empresa e o País. “Temos que mobilizar o povo brasileiro para que se aprove Medida Provisória e emendas constitucionais pra se recuperar a soberania”, aponta Guilherme.

Próximos – Agora, a ideia é ampliar a rede de defesa da Petrobras. Segundo o presidente do Sindicato dos Engenheiros, os debates seguirão. “Nos próximos dias iremos divulgar calendário com os seminários e debates. Um tema como esse deve ser discutido por toda a população, para que se enfrente a ameaça de privatização e para que os brasileiros recuperem a Petrobras”, conclui Murilo Pinheiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui