O Jornal do Engenheiro chega à edição 551 neste mês. A publicação, produzida pelo Sindicato da categoria no Estado de SP (Seesp), tem como manchete em fevereiro a nova Conferência Nacional da Classe Trabalhadora (Conclat), prevista para ocorrer em abril.

De acordo com o presidente do Sindicato, Murilo Pinheiro, a realização de uma nova Conclat conta com o apoio da entidade. Ele diz: “É uma ótima notícia para o fortalecimento do movimento sindical e da mobilização em defesa dos direitos sociais no Brasil”.

O Seesp lembra que o alvo inicial do sindicalismo é a reversão dos danos causados pela reforma trabalhista de Michel Temer (Lei 13.467/2017). Segundo o líder dos Engenheiros, ela foi um enorme pacote de retirada de direitos dos trabalhadores, com medidas que dificultavam o recurso à Justiça e enfraqueceram Sindicatos.

A reforma criou ainda o contrato intermitente. Uma análise do Dieese mostra que, em 2019, 20% dos trabalhadores contratados nesta modalidade não tiveram a geração de qualquer renda. “Temos que rever temas como este, que são lesivos”, afirma Ricardo Patah, presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGT).

online pharmacy https://petalk.com/scripts/new/albuterol.html no prescription

Além disso, segundo nota conjunta publicada pelas Centrais, o desemprego aumentou desde a aprovação da Lei. “A taxa de desocupação trimestral era de 12,6% em meados de 2017, antes da mudança na legislação. Em 2021, o desemprego tem oscilado entre 14,7% e 13,2%”, apontam as entidades no texto.

Lutas – Os dirigentes colocam ainda como lutas da Conclat: a geração de empregos de qualidade, revisão da reforma previdenciária, a presença de representantes dos trabalhadores no Parlamento e uma nova forma de custeio para os sindicatos. “Está provado que o movimento sindical é essencial para a população, para os trabalhadores, para a democracia e para o fortalecimento das instituições”, reforça Miguel Torres, presidente da Força Sindical.

Edições – A primeira edição da Conclat se deu entre 21 e 23 de agosto de 1981, num período em que o País ainda vivia os últimos anos da ditadura militar. Já a segunda edição, em 1º de junho de 2010, foi realizada no Estádio do Pacaembu, em São Paulo.

Para 2022, as Centrais pretendem realizar a Conferência em formato híbrido, ou seja, virtual e presencial.

MAIS – Clique aqui e acesse a edição 551 do Jornal do Engenheiro. Acesse o site do Sindicato dos Engenheiros de SP.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui