Manifestações contra o governo do Paraguai chegaram ao sétimo dia nesta quinta (11). Nas redes sociais, os manifestantes convocaram a população para mais um dia de luta contra o presidente Mario Abdo Benítez e sua má gestão da pandemia.

A onda de protestos começou em Assunção, capital do país, na última sexta (5). Os manifestantes vão às ruas com mensagens pedindo a renúncia do presidente paraguaio.

Organização – A mobilização é conduzida por trabalhadores da saúde, movimentos de oposição ao governo e familiares de vítimas da Covid-19. Povos indígenas e camponeses já aderiram aos protestos e fortalecem a luta.

Colapso – O Paraguai registrou aumento de casos e procura por internações, mas faltam leitos para atender a todos. Até o momento, são mais de 3,4 mil pessoas vitimadas pela doença no país que tem cerca de 7 milhões de habitantes. O ex-ministro da Saúde, Julio Mazzoleni, foi alvo de denúncias de corrupção envolvendo compra de vacinas.

De acordo com manifesto divulgado por partidos progressistas, a indignação da população é legítima. Segundo os líderes partidários, o governo é incapaz e irresponsável com a crise sanitária, além de estar envolvido em esquemas de corrupção.

*Com informações da CUT.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui