Gustavo Henric Costa (Guti) é prefeito de Guarulhos, 13ª maior cidade brasileira, PIB de R$ 55,7 bilhões, Orçamento de R$ 4,189 bilhões e 1 milhão e 400 mil habitantes.

O prefeito está fechando a Proguaru, de economia mista. Em dezembro, fez passar na Câmara o fim da empresa que, no balanço de julho do mesmo ano, havia registrado lucro.

O fechamento da empresa, com 43 anos, demitirá todos os 4,6 mil funcionários, que fazem a zeladoria no município, com 318.673 quilômetros quadrados.

Sindicato – O Stap (Sindicato da categoria, filiado à Força Sindical) já dirigiu greves e ingressou com uma dezena de ações na Justiça, contra o fechamento e pelos empregos.

Mas o prefeito não negocia. Sequer um Plano de Demissão Voluntária foi apresentado ao Stap – a Força Sindical não é contra um PDV negociado.

Após pressão, em reunião com os gestores da empresa e três Secretários Municipais – Justiça, Aírton Trevisan, Governo, Edmilson Americano, e Fazenda, Ibrahim El Kadi, o governo, dia 27 de outubro, apresentou uma proposta pífia. A saber:

Fornecer 300 cestas básicas, três meses, por meio do Fundo Social do Município; recomendar a futuras empresas terceirizadas contratar demitidos; curso de formação já ofertado à população; carta de apresentação.

Greve – A categoria rejeitou e foi à greve nesta quinta, dia 4. A Força Sindical apoia a greve. Clique aqui e leia a Nota.

Morte – Nesta mesma quinta, um varredor de rua da Proguaru foi atropelado e morto enquanto trabalhava no bairro Macedo. Mais um acidente de trabalho fatal.

Força – José Barros da Silva Neto coordena a Força Regional Guarulhos. Ele critica: “Guti mata uma empresa extremamente útil à cidade. Ele massacra pais de mães de família, que serão jogados na rua. Oferecer 300 cestas básicas é um insulto, porque são mais de 4,5 mil os que perderão o emprego. Em toda a minha vida sindical, nunca vi desrespeito tão grande”.

MAIS – Site do Stap.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui