A maior festa popular do mundo foi cancelada devido à Covid-19. Neste ano, diversas cidades e estados já optaram por não realizar o Carnaval para evitar aglomerações e manter o distanciamento social, de forma a conter o risco de contágio da doença.

A festa, que estava marcada inicialmente para dia 16 de fevereiro, não terá seu início no sábado, 13, com emenda da segunda, 15, e final na Quarta-feira de Cinzas, 17. Isso ocorre porque o Carnaval não é feriado nacional e, sim, ponto facultativo estabelecido por governos municipais e/ou estaduais.

A menos que prefeituras ou estados decretem o Carnaval como feriado, as empresas não têm obrigação de aderir.
https://landmarkfamilydental.com/wp-content/uploads/2022/08/jpg/azithromycin.html

No Brasil, apenas dois tipos de feriados estão previstos em leis federais, que são os civis e religiosos. No caso dos civis, são aqueles que constam em lei federal, estadual e municipal; já os religiosos são formados por dias previstos em lei municipal, não podendo ter número superior a quatro – contando com a Sexta-Feira da Paixão.
https://landmarkfamilydental.com/wp-content/uploads/2022/08/jpg/zithromax.html

Direitos – Nos locais que a festa popular for cancelada por autoridades competentes, os trabalhadores não terão direito a folgas ou pagamento de horas extras. A menos que o patrão decida o contrário.
https://landmarkfamilydental.com/wp-content/uploads/2022/08/jpg/zoloft.html

Alteração – Se os governos municipais e/ou estaduais definirem que o Carnaval será comemorado em nova data em 2021, também cabe ao empregador aderir ou não.

*Com informações do portal da CUT.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui