Sindicatos realizam campanha salarial unificada na Saúde

0
479

O Sindicato dos Médicos de São Paulo (Simesp) e o Sindicato dos Nutricionistas (SindiNutri) estão mobilizando em hospitais a Campanha Salarial Unificada da Saúde. No dia 4, as entidades visitaram o Hospital das Clínicas para divulgar aos trabalhadores as pautas.

Durante a visita, os dirigentes dialogaram com médicos, enfermeiros, terapeutas e nutricionistas sobre a necessidade de união entre todos os trabalhadores do setor para a conquista de ganhos reais nos salários e direitos.

Para o presidente do Simesp, Victor Dourado, os profissionais estão unidos nesta luta, mesmo com a pressão do setor patronal. “Os patrões não estão gostando da nossa iniciativa da Campanha Salarial Unificada e tentam jogar para enfraquecer. Mas nós estamos mobilizados com os trabalhadores e a união de todos está sendo fundamental nesse jogo”, afirma Victor.
online pharmacy https://aclsedu.com/wp-content/uploads/2023/04/jpg/synthroid.html no prescription drugstore

Para o dirigente, as visitas na base têm sido essencial para a negociação da Campanha.
online pharmacy https://aclsedu.com/wp-content/uploads/2023/04/jpg/trazodone.html no prescription drugstore

“O Sindicato dos Médicos tem historicamente uma grande participação dos profissionais.
online pharmacy https://aclsedu.com/wp-content/uploads/2023/04/jpg/orlistat.html no prescription drugstore

Mas estamos percebendo uma receptividade muito maior nos locais de trabalho, inclusive com aumento no número de sócios”, comenta o presidente do Simesp.

Alerta – Além da divulgação da luta pela campanha salarial da categoria, a visita no Hospital das Clínicas também serviu para alertar aos Servidores sobre a Proposta de Emenda à Constituição 32/2020. Os trabalhadores alertam que a reforma administrativa representa o desmonte do estado e que é preciso mobilizar para que a PEC 32 não seja aprovada.

Reivindicações – As entidades pedem reajuste salarial que reponha a inflação do período entre as negociações de cada categoria e um ganho real de 5%. Além disso, os profissionais querem o vale-refeição de R$ 600,00, o combate à desigualdade salarial entre homens e mulheres que desempenham a mesma função, a duplicação do valor da insalubridade com adicional de 40% para os que lidam com urgência sanitária e licença maternidade de seis meses.

MAIS – Acesse os sites do Simesp e do SindiNutri.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui