Era uma manhã gelada e garoenta em São Paulo, dia 1º de junho de 2010. Ainda assim, delegações de todo o Brasil afluíram ao estádio do Pacaembu, para a 2ª Conferência Nacional da Classe Trabalhadora, Conclat. Presentes 4.500 entidades, as Centrais, Sindicatos, Federações e Confederações. Público de 30 mil pessoas.

Eixos – Aquela Conferência produziu um documento amplo, com seis eixos principais: Crescimento com distribuição de renda e fortalecimento do mercado interno; Valorização do trabalho decente com igualdade e inclusão social; Estado indutor do desenvolvimento socioeconônico; Democracia e efetivo poder popular; Direitos sociais e negociação coletiva.

O Documento foi amplamente divulgado, mas teve dificuldades de chegar aos presidenciáveis, naquele ano eleitoral. Dilma Roussef (PT), por exemplo, só recebeu a delegação da Conclat em 15 de outubro. Presentes: Moacyr Tesch, Nova Central, Paulinho da Força, Arthur Henrique, CUT; Wagner Gomes, CTB; e Antonio Neto, CSB.

Históricos – Além dos dirigentes da ativa, compareceram lideranças que haviam participado da Conclat em 1981 – Luíza Erundina, Antônio Rogério Magri, Hugo Pérez, entre outros. Em entrevista à Agência Sindical, Hugo falou sobre a primeira Conferência: “Na época, a classe trabalhadora tinha uma agenda igual à da sociedade, ou seja, reconquistar a democracia e recompor o poder de compra das famílias”.

Na II Conclat, em 2010, o Brasil era governado por um metalúrgico que havia sido um dos protagonistas da primeira Conferência. Lula comandava o País rumo ao crescimento, com emprego e ampliação das conquistas trabalhistas e sindicais. Depois, vieram os anos Dilma, até o golpe em 2016.

Memória – O jornalista João Franzin, da Agência Sindical (e que apresentava então o programa Câmera Aberta, na TV Comunitária), conta: “Tomei chuva e passei frio, mas entrevistei todo mundo naquele dia. Um total de 27 pessoas. Depois, publicamos num livreto a síntese do evento e das entrevistas”.

ASSISTA –  Clique aqui e veja o programa especial sobre a segunda Conclat.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui