Quinta, 15, marca o Dia do Professor. A categoria, afora os problemas que se arrastam há anos, enfrenta agora as agruras da Covid-19. Um dos desafios é a adoção do sistema on-line de aulas. Salas virtuais superlotadas e excesso de trabalho integram a nova rotina. Os educadores lutam contra o retorno precipitado das aulas em meio à pandemia.

Segundo Cristina Castro, secretária-geral da Contee (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino), a saúde sofre abalos. “As jornadas cresceram na pandemia e as condições de trabalho pioraram”, comenta.

A Federação dos Professores do Estado de SP (Fepesp) luta contra esse estado de coisas. Constantemente a entidade tem denunciado a situação. A Fespep também trava batalhas judiciais contra o retorno das aulas em meio à pandemia, devido aos riscos.

Em recente vitória judicial, dia 7, a Fepesp garantiu o afastamento do trabalho nas escolas para profissionais que sejam  de risco ou convivam com pessoas desse grupo, mais gestantes e mães que acabaram de dar à luz.

Desde março, liminar obtida pela Federação garantia o afastamento dos professores do grupo de risco e com idade de 60 anos ou mais. A nova decisão ampliou a abrangência para um grupo que precisa ser mais protegido.

Para Celso Napolitano, neste ano, o Dia do Professor servirá para celebrar o desempenho dos educadores. Ele diz: “O professor se reinventou na pandemia, a fim de levar a aula presencial pro ambiente virtual. Os profissionais se desdobraram. Deram apoio aos alunos e cuidaram da família. Nossa classe está de parabéns”, diz o presidente da Fepesp.

Sensibilidade – Segundo a professora Viviane Lourenço, diretora do Sindicato dos Trabalhadores na Administração Pública Municipal de Guarulhos (Stap), a data, em meio à pandemia, será marcada pela grande sensibilidade da categoria.  “O professor deu um show de boa vontade, mesmo forçado a se adaptar a toda essa situação. Agora, esperamos que tudo passe pra poder retornar à sala de aula em condições seguras. Mas esse ainda não é o momento”, alerta.

Mais – Acesse os sites do Stap  e da Fepesp.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui