Funcionou a pressão virtual dos trabalhadores dos Correios. A categoria denunciou a intenção do presidente da Câmara, Arthur Lira, de atropelar as Comissões e antecipar a votação do requerimento de urgência do PL 591/2021. Ele recuou. O requerimento, que seria votado quinta (22), saiu da pauta. As entidades de trabalhadores comemoram.

O Projeto, do Executivo, autoriza a Privatização da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, que hoje emprega 90 mil. Segundo José A. Gandara, presidente da Federação Interestadual dos Trabalhadores dos Correios, “foi a primeira importante vitória da categoria, fruto da mobilização nas redes sociais e também dos parlamentares contrários ao projeto”.

O requerimento, que seria votado nesta quinta (22), foi retirado da pauta de discussão. As entidades representativas dos trabalhadores do setor comemoram o resultado.

Elias Cesário, o Diviza, presidente do Sindicato dos Correios de SP, lembra que a luta está só no começo e orienta a categoria a ficar mobilizada. Ele diz: “Vamos manter a pressão sobre parlamentares e denunciar à população e que essa privatização desmonta o setor”.

Para o dirigente, não é uma luta só dos funcionários dos Correios, mas dos brasileiros. “A privatização só interessa ao capital. Ela vai gerar aumento de tarifa e prejudicar a população, sobretudo dos municípios mais distantes e carentes”, argumenta.

Agenda – Os sindicalistas voltam a se reunir pra encaminhar ações sindicais e jurídicas.

Acesse – https://findect.org.br/

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui