A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) estima R$ 6,03 bilhões injetados na economia brasileira neste ano com o dia dos pais. Essa é a quarta data comemorativa mais importante para o comércio varejista.

Em 2020, as vendas para esta data caíram 11,3% e isso gerou o menor volume financeiro desde 2007. Foram injetados R$ 5,30 bilhões no ano passado. Agora, a alta representa 13,9% no faturamento.

Para especialistas, a queda no último ano se dava por conta de um momento de início de pandemia e medidas restritivas mais rígidas. Agora, com o avanço na vacinação dos brasileiros, o comércio volta aos poucos ao atendimento presencial.

De acordo com o economista sênior da CNC, Fabio Bentes, o dia dos pais se dá num momento em que a economia esteja um pouco mais favorável. “Embora a questão do preço e do crédito mais caro sejam certa âncora para um crescimento um pouco menor do que poderia ser, se a inflação não estivesse alta. A recuperação seria bem mais rápida”, avalia.

Online – A Receita Federal informou que, entre janeiro e maio deste ano, o comércio eletrônico teve alta de 47% no País. Segundo Fabio Bentes, a tendência agora é diminuir o ritmo do e-commerce. “O online vai continuar crescendo por um bom tempo, mas não em ritmo tão forte como o observado nos primeiros cinco meses do ano”, explica.

Outro ponto que pode contribuir para o crescimento no comércio varejista, especialmente no dia dos pais, é a flexibilização das medidas restritivas nos shopping centers. Com a reabertura dos espaços e maior número de pessoas permitidas, as compras presenciais nestes locais também aumentarão. Para o economista, a situação será mais equilibrada entre consumo presencial e online nesta e nas demais datas comemorativas de 2021.

MAIS – Acesse o portal da CNC.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui