Quinta (17), o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), informou que o Plenário da Casa deverá votar a urgência sobre o Projeto de Lei 2.564/2020, que institui o Piso Salarial Nacional dos enfermeiros, técnicos e auxiliares. Esse PL já foi aprovado pelo Senado. O autor é Fabiano Contarato (PT-ES).

Pela proposta inicial, o PL da Enfermagem prevê um salário mínimo em todo o País aos enfermeiros, no valor de R$ 4.750,00. De R$ 3.325,00 aos técnicos e R$ 2.375,00 para auxiliares e parteiras.

Arthur Lira já se mostrou contra o projeto, alinhado aos interesses das grandes empresas hospitalares e de convênio médico. O presidente da Câmara declarou que o impacto financeiro com a implementação do Piso dos enfermeiros varia entre R$ 16 e 18 bilhões.

“Afeta muitas instituições e a vida dos que estão envolvidos”, disse em entrevista o parlamentar.

Discordância – A categoria ressalta que as informações do presidente da Câmara são enganosas. Em Nota, o Conselho Regional de Enfermagem de SP (Coren-SP) explica que “não é o Piso da Enfermagem que atrapalha a saúde financeira das instituições, principalmente porque já foi defendida por unanimidade a viabilidade econômica da aprovação do PL”.

O presidente do Coren-Sp, James Francisco dos Santos, afirma: “Nós entendemos que é urgente a fixação de um Piso Salarial Nacional.

Já está comprovado que os salários praticados hoje são incompatíveis com as responsabilidades e a carga de trabalho da Enfermagem. Financeiramente, se trata de uma proposta viável”. Segundo o representante da categoria, as entidades dos trabalhadores seguirão pressionando os deputados.

MAIS – Acesse o site do Coren-SP.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui