Em 24 de julho, a Lei de Cotas fará 30 anos. A Lei 8.213/91, “para Deficientes e Pessoas com Deficiência”, estimula e normatiza a contratação de PCD (Deficientes) nas empresas. Todo ano, o Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco e Região, o Espaço da Cidadania, Dieese e outras entidades organizam evento de aniversário e publicam Carta que ressalta a importância da Lei.

Uma das etapas preparatórias será encontro virtual quinta, 29, com o coordenador do Projeto de Inclusão da Pessoa com Deficiência no Mercado de Trabalho, dr. José Carlos do Carmo (KAL). A live, com sindicalistas, profissionais da saúde e outros, foi surpreendida por consulta pública no Senado acerca do PL 1.052/2020, que visa mudar a Lei.

“É golpe à Lei de Cotas”, reage Carlos Aparício Clemente, dirigente metalúrgico e idealizador do Espaço da Cidadania, atuante desde 2001. A orientação, imediata, é votar NÃO na consulta pública no ar pelo site www.12.senado.leg.br

Reorientação – A live quinta (29), com o dr. KAL, será um encontro de mobilização e engajamento, adianta Clemente.

Participe – Os convidados serão recepcionados pelo Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco, aplicativo ZOOM. Quinta, 29 de abril. Horário: das 10 às 11h30. Pra entrar na reunião, clique no link https://us02web.zoom.us/j/85976963122

Situação – No Brasil, há 29 milhões de pessoas com algum grau de deficiência. A Lei de Cotas, que se aplica a empresas acima de 100 empregados.

Ao buscar a origem da iniciativa que piora a Lei 8.213/91, Clemente vê semelhanças com mudança já ocorrida no Peru. A live da quinta deve produzir, de pronto, Carta de combate ao PL do senador Oto Alencar, (PSD-BA).

Acesse – www.ecidadania.org.br – telefone (11) 3685.0915.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui