As Federações dos Metalúrgicos de SP, ligadas à Força Sindical e à CUT, enviaram nesta quinta (25) um ofício aos sindicatos patronais pedindo abertura de negociações para estabelecer medidas de proteção aos trabalhadores da categoria neste momento crítico da pandemia da Covid-19.

A carta, intitulada “Acordo Marco Emergencial em Defesa da Vida e do Trabalho” propõe que os representantes dos metalúrgicos e empresários busquem soluções efetivas para que as vidas sejam preservadas.

De acordo com Eliseu Silva Costa, presidente da Federação dos Metalúrgicos da Força, não é mais possível aceitar que a cada dia mais pessoas estejam expostas ao vírus, que está fora de controle. “Esse documento tem o objetivo de sensibilizar o setor patronal pra que possamos construir ações imediatas de proteção para a categoria”, explicou o dirigente.

Para o vice-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos e Região, Josinaldo José de Barros (Cabeça), a situação sanitária é grave e é preciso combater os riscos para evitar mortes. “O governo federal não atuou até agora no combate à pandemia. A vacinação não está sendo em massa. Até quando vamos perder vidas?

Não podemos seguir nessa situação”, lamenta.

Segundo Cabeça, os Metalúrgicos de Guarulhos têm se empenhado na luta pela preservação da saúde.

“Estamos em contato com a base todos os dias. Orientamos as empresas que mantenham o distanciamento nas fábricas, que forneçam Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), ao mesmo tempo que alertamos os companheiros para que tomem todos os cuidados com higienização, álcool gel”, afirma.

NOTA – Clique aqui e leia o documento na íntegra.

MAIS – Acesse o site dos Metalúrgicos de Guarulhos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui