O Sindicato dos Padeiros de São Paulo completou 91 anos de fundação no dia 16 de novembro. No dia seguinte, quarta (17), foi realizada assembleia da Campanha Salarial da categoria, com data-base em 1º de novembro. Os trabalhadores aprovaram a negociação e terão reajuste de 11,08% nos salários.

Esse índice representa a recomposição salarial pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) do IBGE, no acumulado de 12 meses. Esse reajuste será aplicado de forma dividida. Em novembro, os empregados recebem 7%. A partir de fevereiro de 2022, os 4,08% restantes.

Além dos salários, o Sindicato conquistou também aumento nos Pisos e na cesta básica, além da manutenção do Abono salarial no Dia dos Padeiros (13 de junho), a Participação nos Lucros e/ou Resultados (PLR), o vale-refeição e demais cláusulas da Convenção Coletiva da categoria.

Para o presidente da entidade dos trabalhadores, Chiquinho Pereira, essa Campanha Salarial não foi fácil devido à crise econômica no País. Mas, segundo ele, a mobilização da categoria foi fundamental pra garantir as conquistas.

“Uma coisa é certa. É preciso o apoio dos trabalhadores. Um Sindicato precisa do apoio da categoria. É preciso que os companheiros topem fazer a luta pelo reconhecimento e valorização de nossa profissão”, avalia Chiquinho.

O dirigente lembra que só é possível ganhar um melhor sustento para as famílias através da luta. “Pois os governantes tratam nosso povo com descaso absoluto”, ele lembra. “As pessoas, quando não têm responsabilidade e respeito, não têm condições de respeitar o direito de ninguém”, ressalta o dirigente.

De acordo com o presidente dos Padeiros de SP, foram essas motivações que levaram os trabalhadores à luta e que garantiram um bom acordo na Campanha Salarial. “E enquanto essa diretoria estiver aqui, vamos lutar pelos direitos da nossa categoria”, afirma Chiquinho Pereira.

MAIS – Acesse o site do Sindicato dos Padeiros de SP.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui