Qual é a pauta? – Josinaldo José de Barros

0
62

Domingo, o bolsonarismo realizou manifestação na Avenida Paulista, Capital. Sem maiores incidentes. Felizmente, aquelas agressões costumeiras da direita à democracia e ao Judiciário não se repetiram.

Um fator positivo do ato foi a ausência de militares no palanque. Político nenhum tem o direito de enfiar as Forças Armadas em disputas partidárias. Não é esse o papel das nossas Forças.

O Brasil é um Estado laico, que respeita todas as crenças. Ou seja, separa política de religião. Portanto, um fator negativo no ato foi a predominância da questão religiosa num evento político e multipartidário. A fé deve ser um fator de união entre pessoas, famílias e povos.
No regime democrático, é normal o povo ou movimentos sociais ir às ruas, levando suas pautas e reivindicações.

Quero aqui destacar a postura correta do presidente Lula, que, ao assumir o governo, buscou construir um ambiente de harmonia no País. O resultado disso nós vimos na Paulista domingo. Os manifestantes não tinham clima para gestos mais agressivos.

A crítica que faço à manifestação da direita é que ela foi vazia, sem pauta. Afinal, se mobiliza o povo na rua pra quê? Evidentemente que a causa real do ato, ou seja, a pressão da Justiça sobre Bolsonaro, não poderia ser a pauta do ato. Até porque isso colocaria o ex-presidente na defensiva.

Sindicalismo – Volta e meia, o movimento sindical realiza atos públicos, nas bases nas ruas ou mesmo em Brasília. Mas nossas manifestações são sempre pautadas por temas ou reivindicações.

Cito algumas manifestações: aumento real ao salário mínimo, redução na taxa de juros, geração de empregos, fortalecimento da indústria nacional, aumento para os aposentados, igualdade salarial entre mulheres e homens, retomada de direitos cortados pela reforma trabalhista de Michel Temer, entre outros temas importantes para os trabalhadores.

Nos últimos anos, a sociedade brasileira viu também o sindicalismo presente em todos os atos de defesa da democracia. Se hoje o Brasil vive num regime democrático, não tenha dúvidas de que o movimento sindical deu contribuição decisiva nesse sentido.

Neste ano, haverá eleições pra vereador, vice e prefeito, em todo o País. Natural que direita e esquerda busquem vencer na maioria dos Municípios. Natural também que o sindicalismo coloque nossa pauta à disposição dos trabalhadores e da sociedade. Não queremos impor. Mas sim debater e influir.

Pauta – O Brasil precisa baixar ainda mais a Selic, precisa crescer, precisa gerar mais empregos com Carteira assinada, precisa distribuir renda, precisa valorizar as mulheres e dar assistência às minorias. Essas são pautas reais. Por elas, vale a pena fazer atos, protestos e manifestações.

Josinaldo José de Barros (Cabeça)
Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos e Região.
Diretoria Metalúrgicos em Ação