O comando de greve do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Santo André (Sindserv) está organizando as ações de mobilização e a quarta paralisação da categoria na próxima terça (10).

A mobilização será para pressionar o prefeito Paulo Serra. O Sindserv cobra contraproposta que reponha a defasagem salarial da categoria. A mesa de negociação só foi retomada após os trabalhadores pressionarem a Administração, com três grandes paralisações e atos públicos.

“Conseguimos abertura do diálogo. No entanto, em nada avançamos. O governo Paulo Serra não tem proposta e nem respeito pelos Servidores. Estamos cansados de promessas, de sermos chamados de heróis e passarmos dificuldades e fome. Exigimos respeito, valorização de verdade e salário decente”, declara Durval Ludovico Silva, Representante Legal do Sindicato.

Os Servidores de Santo André já estão há dois anos sem reajuste, e a inflação acumulada no período chega a 18,44%. Paulo Serra ofereceu aumento parcelado: 3% em maio e 4% em setembro. Durval explica: “A inflação desse mês fechou em 1.64%, quando recebermos esses 3% já foi corroída e, se esperamos até setembro, perderemos novamente”.

Convocação – Dirigentes do Sindserv estão panfletando nas unidades escolares, postos de saúde, autarquias e demais aparelhos públicos para convocar os trabalhadores para a greve da próxima terça, dia 10 de maio. No mesmo dia acontecerá ato público, às 14 horas, no Paço Municipal. O Sindicato entregará o aviso de paralisação à Prefeitura, no qual destacará o direito constitucional à greve.

Acordo – O Sindicato dos Servidores e a Administração Municipal chegaram a um acordo para que os funcionários que participaram das paralisações dos dias 10 e 31 de março, e 12 de abril, façam a reposição desses dias, sem desconto salarial.

MAIS – Acesse o site do Sindserv Santo André.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui